Dicionovário...

Baseada no texto de mesmo título de Millôr Fernandes, acrecento alguns “novocábulos”:

1. Agendormento: demora para marcar um horário ou compromisso.

2. Agualado: quando tudo fica igual a água.

3. Argiladade: rapidez na confecção de cerâmicas.

4. Azuleijado: ser de cor azul com necessidades especiais.

5. Bargulho: ambiente de venda de bebidas de classificação ruim.

6. Brincoadeira: adorno de orelha divertido.

7. Calcuradora: máquina japonesa que ajuda a resolver problemas.

8. Elefância: a fase inicial da vida de certos paquidermes.

9. Encararcolar: olhar fixamente para o adorno de pescoço alheio.

10. Engenearia: ciência que estuda a complexa forma de organização dos genes.

11. Entardescer: ir para baixo no final do dia.

12. Estropiada: caso engraçado em que alguém acaba mal.

13. Famália: quando vários integrantes de um mesmo clã são muito conhecidos.

14. Fotografitar: fazer imagens com câmera de inscrições feitas em paredes urbanas.

15. Inossentado: indivíduo sobre banco ou cadeira que ficou livre da culpa.

16. Intimidez: sentimento das pessoas envergonhadas por dentro.

17. Morticiar: comunicar a morte de alguém.

18. Romântiga: adjetivo comumente atribuído por casais à parte mais velha da capital italiana.

19. Saliviar: sentir a boca encher de água por se livrar de situação ruim.

20. Semêntica: sentido atribuído ao vocábulo ‘semente’.

21. Telefante: aparelho de fazer ligações para certos paquidermes.

22. Velhicidade: encontrar a alegria na terceira idade.

23. Zoombra: Aproximar a lente da projeção feita pela luz sobre algo ou alguém.

Anúncios

"... quais são as minorias que devem ser valorizadas..."

   Não sei se nos outros países é assim, mas no Brasil algumas minorias são sempre muito valorizadas…

   Se observarmos em termos de população, temos mais negros e pardos que brancos, no entanto basta ligarmos a TV e observarmos a quantidade ínfima de negros e pardos presentes nos programas.

   Se avaliarmos a língua, a quantidade de pessoas que têm acesso à norma culta e que realmente a utilizam, talvez fiquemos restritos aos “Imortais” da Academia Brasileira de Letras e olhe lá! No entando, é essa língua que temos obrigação de saber para conseguir uma vaga nos tão almejados cargos públicos ou cursos universitários.

   Olhando para o quesito corpo, vemos que este prestígio a algumas minorias é ainda mais gritante. Enquanto a maioria da população feminina usa manequim maior do que os tamanhos 38, 40, as passarelas trazem (com grande louvor) as modelos de calças 34, 36…

   Paradoxalmente, algumas minorias tão importantes que merecem especial atenção são deixadas de lado… Como os portadores de necessidades especiais que, no caso dos cadeirantes, ficam restritos ao acesso em inúmeros lugares. E os deficientes visuais que não podem saber nem quando um programa da mais poderosa emissora nacional é adequado ou não à idade de seu filho. Ou ninguém reparou que no início dos programas aparece uma barra colorida, a mensagem escrita indicando a idade adequada, uma intérprete comunicando em Libras – Linguagem Brasileira de Sinais – a mesma informação, cometendo até um pleonasmo já que o deficiente auditivo já leu a mensagem que está sendo sinalizada, e… nenhum sinal sonoro!! Isso revela o despreparo do país para selecionar e tratar as minorias que realmente merecem prestígio.

   O grande desafio é decidir, com base em uma análise mais profunda e criteriosa, quais são as minorias que, definitivamente, merecem ser mais valorizadas.

Semente…

11/05/2010

"semente..."

Semente

Terra

Água

Adubo

Crescimento

Folhas

Flores

Frutos

Viçosos

Bonitos

Podres

Chão

Semente…

Real Pátria Amada

11/05/2010

"Uma infância jogada / Sem um pingo de cor..."

Olho ao redor

Vejo o desamor

Não pode ser pior

Isto é um horror

Crianças perdidas

Sem pais, sem amor

Famílias esquecidas

Em seus olhos a dor

O sonho de vida

Não sabe onde por

Criança sofrida

Não tem mais vigor

Uma infância jogada

Sem um pingo de cor

Que fazer pátria amada

Prá findar tanta dor?

Vida cruel

11/05/2010

"Nos faz de cobaias..."

A vida é cruel

Ironicamente cruel

Sadicamente cruel

Incansavelmente cruel

Nos faz de cobaias

Contraditórias cobaias

Loucas cobaias

Perdidas cobaias

Gosta de ser cruel

Ri-se com suas cobaias

Diverte-se ao ser cruel

Goza-se de suas cobaias.

Em busca de Paz

06/05/2010

"... não viu a borboleta que beijou-lhe o ombro."

O céu estava num degradê perfeito. Apresentava misturas de tons que variavam do azul, anil, roxo até o vermelho, laranja, amarelo. Anoitecia… o sol partia para seu momento escondido.

As árvores apresentavam uma vigorosidade especial devido a umidade renovadora daquele dia, e alegravam o parque com o desabrochar de suas coloridas e atraentes flores.

Crianças ainda brincavam nos balanços e escorregadores, aproveitando os últimos instantes da claridade solar.

Tudo anunciando o início da primavera…

Para completar o cenário, passarinhos cantavam e voavam de lá prá cá como pequenos instrumentos musicais voadores e apassivadores de espírito.

Ana Lúcia estava ali havia horas, sentada num dos bancos, compenetrada em sua leitura, visivelmente perturbada por um questionamento. A necessidade de resposta era evidente em seu rosto.

Ela aparentava estar tão interiorizada que não viu a borboleta que beijou-lhe o ombro.

A busca incessante pelas páginas do livro não a permitiram retribuir o sinal de adeus que lhe dirigiu uma criança.

O espírito de Ana Lúcia estava tão disposto a encontrar suas soluções que ela não conseguiu devolver a bola que as crianças jogavam e que veio parar ao seu lado.

O que será que aprisionava Ana Lúcia desta forma, que a deixava assim tão absorvida e abstraída do mundo ao seu redor?

“AUTO-AJUDA PARA A PAZ INTERIOR – VALORIZANDO AS PEQUENAS COISAS DA VIDA” era o que se lia na capa de seu livro…

Ai ds mim…

06/05/2010

"Ai ds mim..."

Não sei como pude fazer isso                                                                                                                                                                              Tudo parecia tão maravilhoso…                                                                                                                                                                         Não podia esperar isto                                                                                                                                                                                                De um rapaz tão carinhoso

Tudo estava perfeito                                                                                                                                                                                                 Não podia ser melhor                                                                                                                                                                                               Não havia um defeito                                                                                                                                                                                                Dele tudo eu sabia de cor  

Por dois anos foi demais                                                                                                                                                                                       Nada posso me esquecer                                                                                                                                                                                        Fora o presente a mais                                                                                                                                                                                             Que eu não queria receber

Fui então atrás de exames                                                                                                                                                                                           Já que apresentei os sintomas                                                                                                                                                                                  “É necessário que te ames”                                                                                                                                                                                       Foi o que disse Dr. Thomas

Foi terrível, foi mortal                                                                                                                                                                                             Não podia acreditar                                                                                                                                                                                                  Que o vírus mais fatal                                                                                                                                                                                            Decidiu em mim morar

Eu me sentia imunda                                                                                                                                                                                            Todos deviam perceber                                                                                                                                                                                           Que em minh’alma profunda                                                                                                                                                                                       A dor só fazia crescer

Já não sei o que é viver                                                                                                                                                                                        Nesse jogo tão sem graça                                                                                                                                                                                   Talvez melhor fosse morrer                                                                                                                                                                                          A viver nessa desgraça

Mas o tempo foi passando                                                                                                                                                                                            E com ele foi a dor                                                                                                                                                                                                           E eu fui me acostumando                                                                                                                                                                                             A lembrar o que é o amor

Eu deveria ter pensado                                                                                                                                                                                        Muito mais antes de agir                                                                                                                                                                                        Agora olho meu passado                                                                                                                                                                                              E não consigo sorrir

Todo sonho se acabou                                                                                                                                                                                              Logo que fiquei sabendo                                                                                                                                                                                         Mas ele afinal voltou                                                                                                                                                                                                 Pois fui amadurecendo

Muitas lutas eu passei                                                                                                                                                                                                Prá chegar até aqui                                                                                                                                                                                                Muito tempo esperei                                                                                                                                                                                      Pr’adotar o que concluí

Que é possívelviver bem                                                                                                                                                                          Mesmo estando assim doente                                                                                                                                                                                    E que é possível também                                                                                                                                                                                               Ter a paz sempre presente

Afinal estou aqui                                                                                                                                                                                                    Muito alegre e com amor                                                                                                                                                                                          Prá mostrar que eu venci                                                                                                                                                                                       Essa caminhada de dor

Acho que já entendeu                                                                                                                                                                                              Sim, a aids eu contraí                                                                                                                                                                                   Infelizmente não deu                                                                                                                                                                                                Não consegui resistir

Aqui vai o meu recado                                                                                                                                                                                              Prá você que ainda é são                                                                                                                                                                                           Ao encontrar o namorado                                                                                                                                                                                      Use razão não emoção